Argentina/Brasil – Inédito no Brasil

“Eu não morro, não mais”
Performance + Instalação.

Autor, diretor e designer de espaço: Fernando Rubio

Dramaturgista: Laura Limp

Elenco: Carolina Garcia, Daniel Leuback, Eber Inacio, Laura Limp, Johayne Hildefonso, Jacyan Castilho, Julia Limp Lima, Paulo Trajano e Ricardo Santos

Sobre Fernando Rubio:

 

O dramaturgo e diretor argentino Fernando Rubio volta ao Cena Brasil com dois projetos inéditos no Brasil, “O tempo entre nós” e “Eu não morro, não mais”, suas mais recentes propostas artísticas, que serão recriadas e apresentadas no festival com atores brasileiros.
Conhecido por suas intervenções artísticas ao ar livre e em centro culturais ao redor do mundo, Rubio conquistou importantes prêmios internacionais por seus trabalhos, e seus textos teatrais têm sido traduzidos e publicados em diferentes países da América do Sul e da Europa.
O artista esteve no Cena em 2014, com o projeto “Todo lo que está a mi lado”, uma performance que foi realizada na rotunda do CCBB.

Sobre “Eu não morro, não mais”:

 

“Eu não morro, não mais” será apresentada no Cena Brasil em dois formatos, como uma instalação audiovisual e como uma performance encenada por atores. Nos dois formatos, a obra busca gerar reflexão crítica sobre a violência contra mulheres, mas, sobretudo, investigar as dinâmicas de violência que se desenvolvem no ambiente privado. Ação social, política e estética, a obra atua como um chamado de urgência, uma forma de dizer basta e, também, um grito de auxílio.
Em cena há uma caixa transparente que representa um quarto, um espaço privado porém aqui revelado em aberto, visível ao público. Fora do quarto, no mesmo espaço cênico, caixas de som acionam um conjunto de vozes que revelam sonoramente aquilo que vemos em cena mas que não podemos ouvir. Em meio a isso, um grupo de atores realiza ações, frases são projetadas, e o público acompanha histórias e gestos que buscam provocar e transmitir empatia com a dor do outro, com as histórias que conhecemos e desconhecemos.
Através de imagens, sons, ações e palavras, “Eu não morro, não mais” propõe um painel diversificado da tragédia que convive conosco e da tragédia da qual inevitavelmente fazemos parte.

 

Classificação etária: 16 anos

 

Fotos: Laura Limp

 

yo no muero

Três urnas estarão espalhadas no CCBB para receber relatos de violência contra a mulher.
Pode ser um relato seu ou de alguém que você conheça. Pode ter acontecido ontem ou anos atrás. Pode estar acontecendo ainda. Você não precisa colocar seu nome. Seu nome não será divulgado, caso você coloque. Esse não é um espaço para denúncias oficiais.
É uma forma de dar ressonância a nossas vozes. De compartilhar. De desabafar. De, quem sabe, dar um primeiro passo na direção de uma mudança. De inspirar outras mulheres a fazerem o mesmo. De encorajar alguém que precise.
Os relatos, ou partes deles, serão projetados na instalação da obra EU NÃO MORRO, NÃO MAIS, de Fernando Rubio. Para que chegue em outras pessoas, outras mulheres. Para que ecoe e ressoe em todos nós.
A violência contra a mulher tem muitas formas, muitas camadas. Mas é necessário falar sobre TODAS as formas de violência contra a mulher. E todos os relatos serão respeitados e bem vindos.
Escrever e colocar na caixa são duas ações potentes que falam sobre muitas coisas. Que atravessam muitas camadas. Mas este não será o único caminho, temos também um e-mail para receber os relatos:
eunaomorronaomais@gmail.com